logotipo da APDSIAssociação para a Promoção e Desenvolvimento da Sociedade de Informação

Está aqui:Menu de serviço >> Resultados da Pesquisa

Clara Cidade Lains à APDSI: «As TIC podem contribuir para uma igualdade entre géneros bastante sustentável»

Clara Lains
Clara Cidade Lains
é diretora de Info-Exclusão e Necessidades Especiais da Fundação Portugal Telecom.


1 - Como foi o seu percurso profissional e que barreiras encontrou enquanto Girl in ICT?

Fiz a minha universidade num mundo de homens. No trabalho também. Considero ter tido uma difícil integração, principalmente por ter interesses marginais à maioria. Quando comecei a minha atividade profissional 1983/1984 havia pouca, ou nenhuma, abertura para desenvolver tecnologias e serviços para pessoas com necessidades especiais. Apenas nos finais da década de 90/inícios do milênio começou a haver uma maior atenção ao setor.

2 - Quais são os aspetos mais aliciantes de ser uma Girl in ICT?

Olhar o mundo de outro ângulo. Acreditar que a engenharia e a tecnologia em primeira instância existem para servir o Homem, seja qual for a sua condição, e que as TIC têm um papel fundamental na melhoria da sua qualidade de vida e nível de satisfação pessoal. Refiro-me à educação, saúde, trabalho e comunicação interpessoal. Acreditar que a gestão também pode fazer parte do percurso profissional.

3 - Alguma vez se sentiu discriminada?

Sim, mas penso que terá sido mais pelo fato de ter desenvolvido o meu trabalho para pessoas com necessidades especiais do que pelo fato de ser mulher.

Do seu ponto de vista faz sentido promover-se a igualdade de géneros no mundo das TIC?

Sim. As TIC podem contribuir para uma igualdade entre géneros bastante sustentável e com condições de influenciar outros setores.

4 - O que sugere para atrair mais as jovens para as áreas das tecnologias da informação?

A humanização do setor.

5 - As tecnologias influenciam o modo como o mundo olha para as Girls in ICT?

Sim. Tecnologias são do género feminino!

E contribuem para a igualdade do género?

O setor das TIC é, por inerência, um setor socialmente mais aberto pela inovação a que obriga. Assim, penso que sim, decididamente.

Observações

Publicado em Abr 18, 2015 , por APDSI em Categoria: Notícias

Partilhar

Documentos produzidos